quinta-feira, janeiro 12, 2017

sporting clube de portugal

as eleições do sporting estão a escassos dois meses de acontecer. até ao momento existem dois candidatos dignos de nome: o actual presidente, bruno de carvalho e pedro madeira rodrigues, um desconhecido, pelo menos para mim.

o que faz um benfiquista ferrenho falar sobre as eleições do sporting?
é muito simples...para ter um benfica forte e poderoso a nível nacional e internacional, é preciso um sporting forte e poderoso. e isso só se consegue com uma direcção forte e uma estrutura com alicerces sólidos. chega de guerras, chega de jogo sujo, chega de jogadas de bastidores, chega de gozo, chega de palhaçada que se vê diariamente nas televisões, chega da troca constante de insultos. tudo isto só serve para denegrir a imagem do futebol nacional aos olhos estrangeiros.

há que unir os clubes, há que fortificar a imagem de todo o futebol nacional e isso passa muito pelo sporting e pelas eleições que se aproximam. como benfiquista que sou, prefiro um nome para levar a cabo esta mudança estrutural no futebol português. bruno de carvalho é o nome que desejo que continue a encabeçar o sporting. por todas as razões e mais algumas.









já tive a oportunidade de ler e ouvir alguns discursos de pedro madeira rodrigues e acho que o clube ficaria muito mal servido com este senhor a presidente. tem um discurso incendiário, está constantemente associado a pessoas que tornam o futebol podre e antes de ser candidato a presidente do sporting, faliu mais de uma dezena de empresas, ficando a dever dezenas de milhares de euros a fornecedores, empregados e ao estado. tem como finalidade primária denegrir o nome do benfica, em vez de enaltecer o nome do sporting. sei que tem planos de proibir a cor vermelha nos carros e chuteiras dos atletas do clube. se este indivíduo for eleito, temo que o clube tenha os dias contados. peço a todos os sportinguistas que me estão a ler: NÃO votem em pedro madeira rodrigues!









o vosso voto é útil! o vosso voto é importante!
votem no futuro do vosso clube! votem bruno de carvalho!

sexta-feira, dezembro 16, 2016

carinhos matinais

por mais que vos custe (custa-me mais a mim, garanto), este texto não é sobre trocas de carinhos entre marido e mulher. agora que já tirei isto do caminho, poderão largar esses pensamentos que nada vos dignificam...

o miguel, o meu filho mais novo, anda a dormir mal e a acordar cedo. mais cedo que o tiago e mais cedo que os pais também. esta semana, que a minha mulher começou a trabalhar mais cedo, tinha a cama só para mim quando ele tocou a corneta. para não acordar o irmão com os berros e choradeira, lá fui buscá-lo ao quarto e levei-o para a minha cama.

a meio do caminho, já com ele ao colo, cheirou-me um bocado a merda, mas pensei que podia ter sido um peido matinal. dele ou meu...

não era.

já na cama, tive a infelicidade de manter tudo às escuras na secreta e imbecil ideia dele voltar a adormecer. não voltou.

ao invés disso, estava bem calminho. coisa que nele é rara.
estava deitado ao meu lado, a fazer-me festas na cara. coisa que é ainda mais rara.
o cheiro a merda ficava cada vez mais intenso. mas as festinhas tão raras, estavam a saber-me tão bem, que me deixei estar mais uns minutos. quando o ratio cheiro/festinhas começou a não compensar, decidi ligar a luz.

ele estava todo cagado.
a cama estava toda cagada.
as mãos dele tinham merda.
a minha cara...não me olhei ao espelho...desliguei a luz e pensei na vida durante dez minutos, com ele ao colo. a cagar-me as calças de pijama.

sabem a sensação de chorar? todos sabem.
sabem a sensação de chorar e as lágrimas misturarem-se com merda? eu sei.


quarta-feira, novembro 30, 2016

regresso ao passado

no final de cada mês, junto meia dúzia de transferências que preciso de fazer e vou a um multibanco próximo do meu local para as realizar. antigamente, não há muito tempo, podia fazê-las confortavelmente do computador sem qualquer custo associado a isso, mas desde 2014, os bancos começaram a cobrar pelas transferências interbancárias. no meu caso, por cada transferência para fora do meu banco (que por acaso são todas), pago 52 cêntimos. recuso-me a pagar!

vou ao frio, à chuva, ao vento e com neve, coitadinho de mim, rua fora, com um molho de NIBs na mão fazer as ditas transferências. é uma verdadeira regressão no tempo, no que diz respeito à tecnologia e conforto. "podes fazer à mesma, mas irás sangrar que nem um suíno!"

enquanto o multibanco não as começar a cobrar, é lá que as vou fazer.

senhores dos bancos, puta que vos pariu! faz-me muito dano sair de casa de propósito para fazer estas transferências. muito dano!

sexta-feira, novembro 18, 2016

dá-te asas?

estava no ginásio no início desta semana, quando vejo duas raparigas da red bull, com aquela mochila refrigerada em forma de lata presa às costas. entram por ali como se aquilo fosse delas e começam a falar com a malta que estava a treinar, como se estivessem num festival de verão.

"quer um red bull geladinho?", era a pergunta.
eu recusei, bem como a esmagadora maioria da malta do ginásio.
apenas uma pessoa aceitou. um gajo que açambarcou aquilo em 2 golos...devia ter-se esquecido da garrafa de água em casa e estava a desidratar ferozmente. (é a única explicação que encontro)


alguns dos benefícios do red bull:

- bebida com gás
- excesso de açúcar
- excesso de cafeína

para a semana vão lá as meninas da marlboro.

quinta-feira, outubro 27, 2016

fã do bacalhau

"adoro bacalhau!"
"a sério?", questiono eu. "quais os teus pratos preferidos?", remato.
"todos com bacalhau"
"diz aí dois ou três..."
"bacalhau com natas, bacalhau espiritual, bacalhau à brás, bacalhau com broa, bacalh..."
"pára já imediatamente!!", interrompi ferozmente.
"porquê?"
"tu não gostas de bacalhau...gostas de muita coisa misturada e esmagada à volta de bacalhau arranjado e sem espinhas, pronto a mastigar e fácil para comer, como um bebé..."
"não concordo"
"comias uma posta de bacalhau cozida com batatas e couves?", questiono eu.
"que nojo..."

não disse mais nada.

terça-feira, outubro 11, 2016

roupa de bebé

"rui, está aqui esta roupa que a tua mãe lhe deu e raramente a veste."
"ok, eu visto-lhe essa roupa amanhã."

hoje de manhã, após ter demorado 5 minutos a vestir 4 botões da camisa, reparei que os primeiros dois de cima se tinham desabotoado. retirei de imediatamente aquela camisa com bordados e vesti-lhe uma tshirt normal. à bebé homem, sem frescuras.

peguei na camisa de bordados e coloquei-a num saco para dar.
passado uns segundos pensei que nenhuma criança que estivesse em sofrimento por não ter roupa para vestir, quisesse vestir uma merda daquelas.

peguei na camisa de bordados e coloquei-a no saco do lixo.
passado uns segundos pensei que era um crime estar a mandar roupa em perfeito estado para o lixo.

peguei na camisa de bordados e voltei a colocá-la na gaveta de roupa do miguel...

as minhas manhãs são assim...cheias de decisões vitais!

terça-feira, outubro 04, 2016

fruto demoníaco

recentemente descobri a fruta que foi desenhada pela diabo. esse mesmo, o tipo com os cornos, que vive no meio das chamas.
nada mais, nada menos que a maçã reineta.

os motivos desta minha conclusão:

1- só o nome deveria chegar - reineta. nem encaixa bem na boca dizer aquelas sílabas todas juntas. rei-ne-ta...não parece uma palavra portuguesa. durante anos disse "raineta". parecia-me menos mal. é como a remela e a ramela.

2- comer uma maçã reineta crua é o mesmo que comer um cacto. não faz sentido. acho que nunca comi uma crua. a maçã...ou o cacto.

3- comer maçã reineta assada. apesar de não ser a minha fruta assada preferida, admito que não é a pior coisa que já comi na vida. mas como a temos de regar em vinho do porto, cobri-la de açúcar e espetar-lhe um pau de canela pelas entranhas, tira um bocado de valor ao fruto em si. está na mesma categoria das couves de bruxelas (reler aqui).

4- são eternas quando assadas. no outro dia, trouxemos 30 maçãs reinetas da horta do avô da minha mulher e para não as mandarmos fora, assaram-se as 30...(podiam ser bem menos, mas a mim parece-me que foram 30). comemos duas na altura e mais duas passado um dia. agora tenho o frigorífico cheio daquela merda há três semanas. hoje abri a tampa da caixa de umas, com esperança de ver larvas, mas pareciam em bom estado. provei. sabem igual ao dia que foram feitas. são eternas. será da conservação na mistura de álcool mais açúcar? então a sangria também deveria ser eterna.

bem, vou ali comer mais uma para não mandar comida para o lixo.
(mentira, vou pegar naquilo tudo e mandar fora)

domingo, outubro 02, 2016

adopção

recentemente um velho conhecido ligou-me. já não falava com ele há uns anos. se puxar pela memória, a última vez que me lembro de estarmos juntos, foi no meu casamento, em 2009.

"estou a ligar-te para perguntar se ainda moras na mesma casa"
"sim, moro", respondi.
"vou directo ao assunto. eu e a minha namorada queremos adoptar uma criança e um dos passos é o preenchimento de um formulário com a assinatura de dois residentes na mesma freguesia. como me mudei para cá há um ano e não conheço ninguém, queria pedir-te a ti e à raquel."
"com todo o gosto!", respondi.

lá combinamos detalhes e ele veio cá a casa com a papelada que foi devidamente preenchida.
fomos pondo a conversa em dia e cheguei à conclusão que ele nestes anos, tinha passado de omnívoro para vegan, passando ali pela fase intermédia de vegetariano.

"agora és vegan?"
"sim."
"e continuas a ser tu a cozinhar em casa?"
"sim."
"e a tua namorada? também é?"
"em casa come o que eu faço. na rua, come de tudo"
"achas mesmo que vou colocar um miúdo que precisa de carinho e amor nas mãos de um vegan?" e fiz um gesto para apanhar o papel que tinha acabado de assinar.

ele riu-se às gargalhadas.
a minha mulher riu-se às gargalhadas.
os meus filhos riram-se às gargalhadas.
o meu gato riu-se às gargalhadas.

"aiiii rui...és tão engraçado. obrigado pela piada! já tinha saudades"

eu não me ri às gargalhadas.
estou neste momento à porta do prédio dele à espera que alguém me deixe entrar para tentar reaver a merda do papel que assinei...

terça-feira, setembro 20, 2016

calendário familiar

eu e a minha mulher temos um calendário familiar no telemóvel.
tudo o que são eventos de família, são colocados lá por um de nós e no mesmo segundo, o outro recebe uma notificação, com descrição, dia e hora de tal ocorrência.

"já recebi a tua notificação da mudança de hora da consulta de 4 anos do tiago"
ou,
"a revisão do teu carro ficou para 3a feira da semana seguinte, já pus no calendário"

tudo bem. tudo impecável. tudo jóia. tudo maravilha.
só que não...

o social cá de casa não sou eu.
quem marca jantares cá em casa não sou eu.
quem anseia por festas de aniversário cá em casa não sou eu.
quem adora pessoas, sorrisos, festa e alegria cá em casa...não...sou...eu...

vou guiar os meus amigos por um dia normal de notificações do meu calenário:

(som de calendário)
Raquel adicionou um evento
"evento super engraçado com pessoas super giras"
dia tal às tantas horas
- aceito -

10 minutos depois

(som de calendário)
Raquel adicionou um evento
"festa de aniversário do filho giro do amigo super fixe"
dia tal às tantas horas
- aceito -

25 minutos depois

(som de calendário)
Raquel adicionou um evento
"team building da empresa com actividades super sensacionais"
dia tal às tantas horas
- aceito -

40 minutos depois

(som de calendário)...PUTA QUE PARIU!!!!
Raquel adicionou um evento
"ir buscar a minha mãe ao aeroporto"
dia tal às tantas horas
- aceito -

20 minutos depois

(som de calendário)...CHEGA DESTA MERDA!!!
Raquel adicionou um evento
"marcar jantar lá em casa com pessoas que gostamos, mas não vemos há muito tempo"
dia tal às tantas horas
- aceito -

antes de receber outra notificação, envio-lhe mensagem:
"larga-me com esta merda!!"
"não"
"pára de falar com pessoas...cada pessoa com que falas, é um evento que crias"
"sim"
"pára!!"
"não"
"quero ficar em casa todo o dia e não tomar banho e ver filmes de desenhos animados com os miúdos"
"não"
"pára de falar em monossílabos!"
"adeus"

desisto de argumentar.
ainda recebo mais três eventos nesse dia. no meio de lágrimas, não os confirmo, na secreta esperança que caiam em esquecimento.

não caem.




terça-feira, setembro 13, 2016

desafios matinais

tinha os dois sentados ao pé de mim. o tiago, como um crescido, sentado num lugar de adultos com a taça de cereais e fruta à sua frente. o miguel, como um aprendiz de adulto, sentado numa cadeira de refeição para bebés, com a papa matinal a batalhar para entrar no local correcto, percorrendo o difícil caminho entre a taça, as bochechas, o nariz, a testa, os cabelos e finalmente...a boca.

o miguel começou a comer mais cedo e o tiago, devido à sua característica de caracol, foi ficando cada vez mais para trás, fruto de distrações que aparecem personificadas em lightning mcqueens e o chuck dos angry birds, espalhadas pela mesa de jantar.

acabei de dar a papa ao miguel e avisei o tiago que ia vestir o irmão e que quando voltasse queria tudo terminado. fui para o quarto vestir o mais novo e na cozinha reinava o silêncio.

um minuto, dois minutos, cinco minutos de silêncio.

"não te estou a ouvir comer", gritei de longe.
"eu estou a comer!"
"não te ouço a comer os cereais...não ouço o barulho do talher!"
"mas estou a comerrrrrrrrr..!!!"
"porque é que não ouço a colher na tigela?"

desde esse segundo, até acabar de vestir o miguel, só ouvia:
pim...
pim...
pim...
pim...
pim...
pim...

era o sacana a bater com a colher na tigela, tipo um prisioneiro a desafiar o guarda.
ainda tenho de descobrir a quem é que ele sai tão gozão.

acho que a culpa é da mãe...

Sport Lisboa e Benfica